terça-feira, 24 de setembro de 2013

Eugenio Montale

Quisera ter-me sentido tosco e essencial
assim como esses seixos que revolves,
comidos por salsugem;
lasca fora do tempo, testemunho 
de uma vontade fria que não passa. 
Outro fui: homem fito que repara 
em si, nos outros, a efervescência 
da vida fugaz — homem demorado 
nos atos que ninguém, depois, destrói. 
Quis procurar o mal 
que corrói o mundo, a pequena torção 
de alavanca que para 
o engenho universal; e vi a todos 
os eventos do minuto 
prestes a desjuntar-se num abalo.
Na trilha dum caminho eu quis o rumo
inverso, convidativo; e talvez
precisasse do gesto incisivo,
da mente que decide e se determina.
Eram-me necessários outros livros,
não tua página estrondosa.
Mas nada posso lamentar: teu canto
desata ainda os nós interiores.
O teu delírio então sobe aos astros.

In Ossos de Sépia, p. 123




Nenhum comentário: