domingo, 1 de abril de 2012

Emílio Moura

Solidão, Solitude

Minha alma, súplice, procura
cingir a tua, mas em vão.

Tua alma, súplice, procura
cingir a minha, mas em vão.

Teu nome, agora, é solitude.
Meu nome, agora, é solidão.

Nenhum comentário:

Ailton Volpato

  Finados A criança sobre o campo sagrado traça caminhos. Brinca, não sabe o que virá e vive o dia na graça. No campo está a história, a m...