quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Silvina Ocampo

PRESSENTIMENTO
Durante muitos dias me seguiste.
No canto do pássaro, nas sombras,
Nas modulações do espaço:
Aprendi a conhecer-te.
Eu sentia tua luz atravessar-me
Como uma flecha de ouro envenenada.
Desobedecia-te arrependida.
Falavas-me em segredo.
Nos espelhos quebrados, na tinta
Azul dos cadernos que deixavas
Sobre a mesa de meu quarto.
Eu tremia a olhar-te, eu tremia
Como tremem os galhos refletidos
Na água movida pelo vento.
Agora que conheço teus sinais,
Tua pele e tuas orelhas, teu semblante,
Não te desobedecerei,
E  ajoelharei diante de tua imagem,
Implacável sibila que me segues.

[Silvina Inocencia Ocampo Aguirre nasceu em Buenos Aires no dia 28 de julho de 1903. Na juventude estudou desenho em Paris com Giorgio de Chirico e Fernand Léger. Poeta, contista e tradutora, casou-se com o escritor  Adolfo Bioy Casares, em 1940. Faleceu no dia 14 de dezembro de 1993, em Buenos Aires].

Nenhum comentário: