sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Daniel Faria

EXPLICAÇÃO DO POETA
Pousa devagar a enxada sobre o ombro
Já cavou muito silêncio

Como punhal brilha em suas costas
A lâmina contra o cansaço

EXPLICAÇÃO DO SORRISO
A mãe disse-lhe escreve-me
De  lá de longe para onde vais
E ela disse não é longe casar
E a mãe sorria cega de dor
E parecia de deslumbramento

EXPLICAÇÃO DA AUSÊNCIA
Desde que nos deixaste o tempo nunca mais se transformou
Não rodou mais para a festa não irrompeu
Em labareda ou nuvem no coração de ninguém
A mudança fez-se vazio repetido
E o a vir a mesma sensação da falta.
Depois o tempo nunca mais se abeirou da promessa
Nem se cumpriu
E a espera é não acontecer - fosse abertura -
E a saudade é tudo ser igual.

EXPLICAÇÃO DA NOITE
Sobre a água estarei solto de caminhos
Dos que vierem nenhum barco é para ti

Não deixes a candeia acesa
Dorme: basta-me essa luz

AQUILES E PÁTROCLO
Nem sucessivas e sucessivas migrações de aves
Perfarão a distância que agora nos separa
Mas esta nau não me levará à casa
E seguir-te não será morrer

[Daniel Faria, Poesia, Quasi Edições]










Nenhum comentário: