quarta-feira, 13 de novembro de 2013

María Victoria Atencia

Epitáfio para uma jovem
Porque te foi negado o tempo da ventura
teu coração descansa já tão alheio às rosas.
Teu sangue e carne foram teu vestido mais rico
e a terra nunca soube o firme de teus passos.

Começa aqui e acaba tua semeadura
- tal se enterra um vencido no final do combate -,
onde em novembro a água tua ternura embeba
e o latido de um cão tenha voz de presságio.
Tua vida toda quieta sob o tacto da morte,

que sementes domina, cerceando seus gomos,
tu ficaste em botão por abrir, nunca mais
conhecerás o estalido floral da primavera.

In Antologia poética, tradução José Bento, Lisboa: Assírio & Alvim, 2000].


Nenhum comentário: