sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Else Lasker-Schüler

FARAÓ E JOSÉ*
Faraó repudia as suas mulheres, frescas
Como flores, cheirando aos jardins de Amon.

Sua cabeça real descansa sobre o meu ombro,
De onde emana cheiro de espigas.

Faraó é feito de ouro.
Os seus olhos vão e vêm
Como revérberos nas ondas do Nilo.

Mas o seu coração está no meu sangue;
Dez lobos vieram ao meu bebedouro.

Faraó pensa sempre
Nos meus irmãos
Que me lançaram num poço.

No sono, os seus braços são colunas
E ameaçam!

Mas o seu coração sonhador
Ressoa no fundo de mim.

Por isso os meus lábios inventam
Grandes bolos doces
No trigo da nossa manhã.
* Gênesis, 41.

[In Baladas Hebraicas, tradução e apresentação de João Barrento, Lisboa: Assírio & Alvim, 2002, p. 63].



Nenhum comentário:

Mariana Ianelli

VIDA Vida, pátria dos resistentes, Quiséramos perder-te às vezes. Partir e voltar por infinitos meses Até que partíssemos somente. Ma...