sábado, 8 de fevereiro de 2014

Astrid Cabral

DOMINGO EM MILWAUKEE
Cristas de igrejas contra o azul 
culpam-me de ter perdido a missa.
A beira-lago, o museu lembra 
um iate grego extraviado.
De seu convés se descortina 
o salão d’água onde dançam 
velas bêbadas de brisa.

Embarco para o país da arte: 
no exílio o girassol de Miró 
instaura a primavera eterna 
a corola coroa triunfante.
Rigaut Benoit, Hyppolyte, os Obin 
exportam a alma do Haiti.
Um pintor de vanguarda concebe 
bebês boiando no bojo de modernas 
maternas telas televisivas.

O que contemplar? 
Perco-me entre os labirintos do homem 
e a escondida face do divino 
transparecendo na pele do mar.

O sol desfalece e a neblina 
que desce porfia por engolir 
as áureas relíquias do dia.

[In Rês Desgarrada, In De déu em déu -  poemas reunidos (1979-1994), Rio de Janeiro: Sette Letras, 1998, p. 348].

By  Ryan Radke

Nenhum comentário: