quarta-feira, 9 de abril de 2014

José Paulo Paes

MUNDO NOVO
Como estás vendo, não valeu a pena tanto esforço:
a urgência na construção da Arca
o rigor na escolha dos sobreviventes
a monotonia da vida a bordo desde os primeiros dias
a carestia aceita com resmungos nos últimos dias
os olhos cansados de buscar um sol continuamente adiado.

E no entanto sabias de antemão que seria assim. Sabias que
   a pomba iria trazer não um ramo de oliva mas de
   espinheiro.

Sabias e não disseste nada a nós, teus tripulantes, que ora
   vês lavrando com as mesmas enxadas de Caim e Abel
   a terra mal enxuta do Dilúvio.

   Aliás, se nos dissesses, nós não te acreditaríamos.

[In Prosas seguidas de Odes Mínimas, São Paulo:Companhia das Letras, 2010, p. 47]

Carlo Saraceni

Nenhum comentário: