sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Caio Cardoso Tardelli

CAMINHAREI, UM DIA
Caminharei, um dia, entre as essências,
Tão repleto das celestes essências,
Que julgarei-me em perpétuo silêncio,
Na propagação do meu próprio silêncio.

15/04/2014

APARIÇÕES
… E foi em certa noite desolada,
Quando a paz vai ulular outra estrada,
Que mais do que o teu vulto observei...
Não era o mundo, as regiões do ouro,
Que me pulsavam em sorvedouro...
Talvez... talvez vi o que jamais saberei.

Como em uma amorosa ilusão,
Senti súcubo pegando-me pela mão...
E tudo era dor, vertiginosamente
Rodopiando em torno a mim mesmo...
A felicidade passava a esmo,
Sombra de minha sombra, cegamente.

E os livros, dispersos na estante,
Pulsavam, como lúbrica bacante,
Os seus próprios abismos no mundo...
E além, marchando atrás da janela,
A vagarosa, incessante caravela
Do meu derradeiro segundo...

A lua cantava canções funéreas
Para o seu poente... e as etéreas,
As estrelas, os portais do infinito,
Somente essas brilhavam, sonhando
Sob o longo lamento brando
Do mais remoto sonho desdito.

E o sol... o sol na claridade inferna
Queimou-me o olhar nessa noite eterna...
Desta terra o primeiro verso
Rebentou em meus perturbados ouvidos.
Aguçava-me todos os sentidos
A harmonia inicial do universo.

E tudo, como em um pesadelo,
Dormiu sob o auroral selo,
Como a mais serena noite comum...
Mas, fantasma de mim mesmo, sei, trago
Esse eterno lamentar aziago
Da universal transfiguração ao Um!

12/05/2014

SERENIDADE
Vai sereno, vai sereno, através do mundo,
Como se pouco ou nada na terra houvesse...
Se sofreres, faz dessa espiritual messe
O sublime fecundar de teu sonho fundo...

Vai sereno... sê um astro ao alto, fecundo,
Ou um abismo horrente de milenar prece...
Vai como se o universo em mãos tivesse...
Vai sereno, vai sereno, através do mundo.

Passa pelo tempo como o sol pelo céu!
Vai assim, acima do rude, vão escarcéu,
À beleza de uma ilusão em ardentia...

E, no entanto, apesar da sofrida pena,
Crê que a dor é das quimeras a mais plena,
A que dos astros guia-nos para a alegria...

16/12/2013

[Publicados com licença do autor]

SOBRE CARDOSO TARDELLI





Um comentário:

Carmen Regina Dias disse...

Um belo banquete.

"Vai como se o universo em mãos tivesse...
Vai sereno, vai sereno, através do mundo."

Serenidade, equanimidade, paz. Iguarias servidas no portal do ser.

Madalena de Castro Campos

IMPÉRIO Onde ele dizia descoberta, ela ouvia jugo. Onde ele dizia civilização, ela ouvia barbárie. Pilhagem, extorsão, estupro, escrava...