sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Caio Cardoso Tardelli

CAMINHAREI, UM DIA
Caminharei, um dia, entre as essências,
Tão repleto das celestes essências,
Que julgarei-me em perpétuo silêncio,
Na propagação do meu próprio silêncio.

15/04/2014

APARIÇÕES
… E foi em certa noite desolada,
Quando a paz vai ulular outra estrada,
Que mais do que o teu vulto observei...
Não era o mundo, as regiões do ouro,
Que me pulsavam em sorvedouro...
Talvez... talvez vi o que jamais saberei.

Como em uma amorosa ilusão,
Senti súcubo pegando-me pela mão...
E tudo era dor, vertiginosamente
Rodopiando em torno a mim mesmo...
A felicidade passava a esmo,
Sombra de minha sombra, cegamente.

E os livros, dispersos na estante,
Pulsavam, como lúbrica bacante,
Os seus próprios abismos no mundo...
E além, marchando atrás da janela,
A vagarosa, incessante caravela
Do meu derradeiro segundo...

A lua cantava canções funéreas
Para o seu poente... e as etéreas,
As estrelas, os portais do infinito,
Somente essas brilhavam, sonhando
Sob o longo lamento brando
Do mais remoto sonho desdito.

E o sol... o sol na claridade inferna
Queimou-me o olhar nessa noite eterna...
Desta terra o primeiro verso
Rebentou em meus perturbados ouvidos.
Aguçava-me todos os sentidos
A harmonia inicial do universo.

E tudo, como em um pesadelo,
Dormiu sob o auroral selo,
Como a mais serena noite comum...
Mas, fantasma de mim mesmo, sei, trago
Esse eterno lamentar aziago
Da universal transfiguração ao Um!

12/05/2014

SERENIDADE
Vai sereno, vai sereno, através do mundo,
Como se pouco ou nada na terra houvesse...
Se sofreres, faz dessa espiritual messe
O sublime fecundar de teu sonho fundo...

Vai sereno... sê um astro ao alto, fecundo,
Ou um abismo horrente de milenar prece...
Vai como se o universo em mãos tivesse...
Vai sereno, vai sereno, através do mundo.

Passa pelo tempo como o sol pelo céu!
Vai assim, acima do rude, vão escarcéu,
À beleza de uma ilusão em ardentia...

E, no entanto, apesar da sofrida pena,
Crê que a dor é das quimeras a mais plena,
A que dos astros guia-nos para a alegria...

16/12/2013

[Publicados com licença do autor]

SOBRE CARDOSO TARDELLI





Um comentário:

Carmen Regina Dias disse...

Um belo banquete.

"Vai como se o universo em mãos tivesse...
Vai sereno, vai sereno, através do mundo."

Serenidade, equanimidade, paz. Iguarias servidas no portal do ser.