sábado, 22 de novembro de 2014

Heitor Ferraz

ENTRE A DELEGACIA E O CONVENTO
Entre a delegacia e o convento de freiras
a intermitência de sirenes e rostos
(o que se banha na torneira de uma casa vazia
e o que não se banha na torneira de uma casa vazia
e esfrega o nariz na manga da camisa)
Esta rua tem olhos espessos
sob o arco complexo da sobrancelha
Talvez seja melhor não persistir
A duração de cada ato
de cada movimento de rosto é curta
A respiração é curta
A distância até a morte é curta
Todas essas horas são curtas e aguardam a invariável
[sirene
que estoura vermelha e azul no muro das casas

[In Hoje como ontem ao meio dia, Rio de Janeiro, 7Letras, 2002, p. 19]



Nenhum comentário:

Dora Ferreira da Silva

Moras num antiquário e nunca estás. Um gato sonolento recebe instáveis visitantes mas eu fico à espera. Conheço cada fresta da parede su...