quarta-feira, 11 de março de 2015

Octavio Paz

ATRAVÉS

Passo a página do dia,
Escrevo o que me dita
o movimento de teus cílios.

Minhas mãos
Abrem as cortinas de teu ser
Te vestem com outra nudez
Descobrem os corpos de teu corpo
Minhas mãos
Inventam outro corpo para teu corpo.

Entro em ti,
Veracidade da treva.
Quero as evidências do escuro,
Beba o vinho tinto:
Toma meus olhos e reinventa-os.

Uma gota de noite
Sobre a ponta de teus seios:
enigmas de cravo.

Ao fechar os olhos
Abro-os dentro de teus olhos.

Em teu leito grená
Sempre está desperta
E úmida tua língua.

Há fontes
No jardim de tuas artérias.

Com uma máscara de sangue
Atravesso teu pensamento em branco:
A desmemória me guia
Para o reverso da vida.

A Lifetime Photography - photo © Roman Vishniac


Nenhum comentário: