terça-feira, 25 de agosto de 2015

Marize Castro

existiu em minha vida uma águia
claros olhos a me olharem todos os dias

certa vez fui rever o mundo
e o coração da minha águia parou

sepultaram-na sem meu último abraço

quando retornei a nossa casa
trazia comigo a mais indivisível dor

e a pergunta que ainda hoje
permanece em mim

quando o Grande Mistério
se revelará
enfim?

[In Habitar teu Nome, Natal (RN): Una, 2011, p. 53]



Nenhum comentário:

Kabir

KABIR - [Poema 12] Conta-me, ó Cisne, tua velha história. De onde viestes? Para onde vais? Em que margem pousarás para descansar? ...