domingo, 10 de julho de 2016

Miguel Manso

V
desprendeu a crina prateada
frente ao espelho corroído na casinha do pátio
ao pé do lavatório, essa bisavó
magra enigmática

num aceno breve reuniu o que estendeu
no enredo voluminoso de um toucado enquanto
de fora o calor velava um Verão de limoeiros

eu estava no ângulo mais assombrado
da idade cuidando por não ser descoberto
escondido com uns pássaros ao fundo

tão-pouco soubemos avó de poesias
e o que nesse canto me ofereceste devolvo
pior no recanto tardio de uns versos

VI
o ciúme tardio sem motivo
a torpe varonia enroupada na mansidão
em que flagravas

inseguro, em surdina
junto à presença desenvolta da mulher
de quem foste marido e náufrago

e teve contigo, afinal, um amor fiel
fecundo e bom

[In Supremo 16/70, 2013]



Nenhum comentário: