sábado, 21 de abril de 2012

Adélia Prado

A POSTULANTE
Deus tem todo o poder,
até o de,  por um dia inteiro,  me escutar chorando
sem me infligir castigo.
Tenho natureza triste,
comi sal de lágrimas no leite de minha mãe.
O vazio me chama,  os ermos,
tudo que tenha olhos órfãos.
Antes do baile já vejo os bailarinos
chegando em casa com os sapatos na mão.
O jantar é bom,  mas eructar é triste
quase ímpoetizável.
Deveras,  não hás de banir-me do ofício do Teu louvor,
se até uns passarinhos cantam triste.

A Duração do dia, São Paulo, Record 2010, p. 63




Nenhum comentário: