segunda-feira, 18 de junho de 2012

Augusto dos Anjos

GUERRA


Guerra é esforço, é inquietude, é ânsia, é transporte...
É a dramatização sangrenta e dura
Da avidez com que o Espírito procura
Ser perfeito, ser máximo, ser forte.

É a subconsciência que se transfigura
Em volição conflagradora... É a coorte
Das raças todas, que se entrega à morte
Para a felicidade da Criatura.

É a obsessão de ver sangue, é o instinto horrendo
De subir, na ordem cósmica, descendo
À irracionalidade primitiva...

É a Natureza que, no seu arcano,
Precisa de encharcar-se em sangue humano
Para mostrar aos homens que está viva!

In: Eu e Outras Poesias, Rio: Bedeschi, 1945, 13a. ed, p. 220

2 comentários:

Blog do tio Pepe disse...

Século XXX21

Blog do tio Pepe disse...

Minha juventude em Diamantina, Socrates,Cezar,Miltom, Chico, Conrado!