sábado, 3 de novembro de 2012

Laís Correa de Araújo


PROFISSÃO DE ESPOSA
Cala-te, burguesa,
e serve a minha mesa.

Cala-te, madama,
e serve-me na cama.

Cala-te, obesa,
e deixa a luz acesa.

Cala-te, obtusa,
e chama a minha musa.

In INVENTÁRIO 1951/2002, Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004, p. 130

VERSÍCULO 100
em verdade, em verdade vos digo:
nem todo aquele que sobe ao Templo
e bate no peito, dizendo
Poesia, Poesia,
entrará no Reino da
Mídia

In INVENTÁRIO 1951/2002, Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004, p. 141


Nenhum comentário: