quinta-feira, 11 de abril de 2013

Sophia de Mello Breyner Andresen

COM FÚRIA E RAIVA
Com fúria e raiva acuso o demagogo
E o seu capitalismo das palavras

Pois é preciso saber que a palavra é sagrada
Que de longe muito longe um povo a trouxe
E nela pôs sua alma confiada

De longe muito longe desde o início
O homem soube de si pela palavra
E nomeou a pedra a flor a água
E tudo emergiu porque ele disse

Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
Como se fez com o trigo e com a terra

Junho de 1974

[In O Nome das Coisas, in OBRA POÉTICA,  Alfragide, Caminho, 2011, pp. 524-525].

Amadeu de Souza-Cardoso

Nenhum comentário: