sábado, 15 de junho de 2013

Emily Dickinson

Após a dor imensa, a sensação formal —
Os Nervos sentam-se solenes, como Túmulos —
O Coração tenso pergunta foi Ele, a suportar,
E Ontem, ou há Séculos?

Os Pés giram, mecânicos —
Fora de Chão, ou Ar, ou Nada —
Caminho de Madeira 
Plantado ao acaso,
Contentamento em Quartzo, como pedra —

Esta é a Hora de Chumbo —
Quando sobrevivida, recordada,
Como o Enregelado lembra a Neve —
Primeiro — o Frio — o Estupor a seguir — depois o abandono  —

[In Cem Poemas, trad. Ana Luísa Amaral, Lisboa, Ed. Relógio D´Água, 2010, p. 27]

Fragonard - A leitora

Nenhum comentário: