segunda-feira, 1 de julho de 2013

Marina Tsvétaïeva

“O que aos outros não é preciso - tragam para mim”´

O que aos outros não é preciso - tragam para mim! 
Tudo há de queimar em meu fogo!
Atraio a vida, atraio a morte 
No leve regalo de meu fogo.

A chama gosta - de substâncias leves:
O mal passado, - grinaldas - palavras.
A chama - arde desse alimento!
Levante-se pois - mais puro que a cinza!

Ave-Fênix - só no fogo eu canto!
Mantenham minha vida elevada!
Eu queimo alto - e queimo até o fim!
E assim a noite ser-lhes-á - clara!

Fogueira de gelo, fonte de fogo!
Levanto ao alto meu talhe elevado,
Levanto ao alto minha alta estirpe - 
De Herdeira e Conjurada!

2 de setembro de 1918

In Indícios Flutuantes, trad. de Aurora F. Bernardini, São Paulo, Martins Fontes, 2006,  p. 51.


Nenhum comentário: