terça-feira, 13 de agosto de 2013

Maria Lúcia Dal Farra

RETRATO DE MULHER DE FRENTE

De tanto esperar pelo meu olhar,
enrubesceu. Aguardou-o
anos a fio
mas emana dela ainda
a mesma timidez
igual esperança. Há
(quem sabe)
uma indagação impossível
na boca rubra e natural.

A aura do objeto
mistura-se a seu cabelo
como se a existência
tivesse transcendido o momento
em que por certo nos encontraríamos.

Malgrado estar eu aqui -
tudo nela ainda espera por mim.

Maria Lúcia Dal Farra, Livro de Possuídos, São Paulo, Iluminuras, 2002, p. 133

CÍCERO DIAS

Nenhum comentário:

Kabir

KABIR Eu disse, à criatura sedenta dentro de mim, que rio é esse que desejas atravessar? Não há viajantes na estrada que leva ao rio, e ...