quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Mariana Ianelli

DESAFIO
Um último olhar para os canteiros repisados, 
Ainda isso te comove -

São coisas familiares que retornam,
Pequenas pedras, lâmpadas de um caminho, 
Uma trilha sob o arco da folhagem 
Como se apesar de tudo os mesmos passos,
A mesma ronda, o mesmo afogueado abrigo.

Provando o rumor dos interiores,
As cores sóbrias, o lado gótico da vida, 
Pouco a pouco perdendo o fogo e o viço,

O desafio é quanto pode durar o teu sorriso 
Contra toda a tua escória, as tuas derrotas, 
No fragor dos estilhaços, algum brilho.

In O amor e Depois, São Paulo: Iluminuras, 2012, p. 59

Francisco de Goya
O cão


Nenhum comentário: