quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Herberto Helder

Porque ela vai morrer

Porque ela vai morrer.
Cai no sono a água fria, e ferve, no sono de cal a água 
fria:  ah, a brusca temperatura, a insensatez 
das imagens.
O pêlo negro das mães escorrega na sua cara 
de criança voltada.
Só ela tão longamente se voltaria
dormindo,
criança
que se desdobra. Dêem um nome à memória, uma 
arrumação sonora que se escreva 
e ofusque — um nome 
para morrer.
Porque a criança atravessa tudo e já toca no centro de si própria.

In Do Mundo, In Ofício Cantante, Lisboa: Assírio & Alvim, p. 491

Hyatt Moore

Nenhum comentário: