sábado, 25 de janeiro de 2014

Alexei Bueno

OS SONÂMBULOS
Eles caminham nos telhados,
Nas balaustradas, nas varandas, 
Dedos à frente, olhos cerrados, 
Beiram o vácuo dos dois lados 
Sobre os beirais e as platibandas.

Como ímãs ébrios seus sapatos 
Burlam a queda, e, no seu dia 
Onde há um sol negro, chutam gatos 
Ao ar, pisando os pobres matos, 
Mechas da velha alvenaria.

Não estão mortos nem são vivos, 
Cruzam por urbes de ninguém 
Onde há milhões. Hirtos, esquivos, 
Sabem, idênticos e altivos,
O que é o real, e o certo e o bem.

Senhores da hora e da verdade, 
Babam no abismo, engolem moscas, 
Marcham pela única cidade 
Que existe, em glória e majestade, 
Com as reviradas íris foscas.
24.11.1998

[In Em Sonho, São Paulo, Record, 1999, p. 63]


BY GRACIELA BELLO

Nenhum comentário:

Mariana Ianelli

VIDA Vida, pátria dos resistentes, Quiséramos perder-te às vezes. Partir e voltar por infinitos meses Até que partíssemos somente. Ma...