quarta-feira, 19 de março de 2014

José Paulo Paes

SOBRE O FIM DA HISTÓRIA
A pólvora já tinha sido inventada, a Bastilha posta abaixo
     e o czar fuzilado quando eu nasci. Embora não me res-
     tasse mais nada por fazer, cultivei ciosamente a minha
     miopia para poder investir contra moinhos de vento.

Eles até que foram simpáticos comigo e os de minha ge-
     ração. Fingiam de gigantes, davam berros horríveis só
     para nos animar a atacá-los.

Faz muito tempo que os sei meros moinhos. Por isso os
     derrubei e construí em seu lugar uma nova Bastilha.
     Vou ver se escondo agora a fórmula da pólvora e ar-
     ranjo um outro czar para o trono.

Quero que meus filhos comecem bem a vida.

[Prosas seguidas de Odes Mínimas, São Paulo:Companhia das Letras, 2010, p. 49]


Faruk Koksal



Nenhum comentário: