terça-feira, 27 de maio de 2014

Gonzalo Rojas

O QUE SE AMA QUANDO SE AMA? 
O que se ama quando se ama, meu Deus: a terrível luz da vida
ou a luz da morte? O que se busca, o que se encontra, que
é isso: amor? Quem é? A mulher com sua profundidade, suas rosas,
seus vulcões,
ou este sol colorido que é meu sangue furioso
quando nela entrou até as últimas raízes?

Ou tudo é um grande jogo, Deus meu, e não há mulher
nem há homem mas um só corpo: o teu,
repartido em estrelas de formosura, em partículas fugazes
de eternidade visível?

Nisto eu morro, oh Deus, nesta guerra
de ir e vir entre elas pelas ruas, de não poder amar
trezentas de cada vez, porque estou condenado sempre a uma,
a essa uma, a essa única que me deste no velho paraíso.

Sobre GONZALO ROJAS

André Derain


Nenhum comentário: