quinta-feira, 5 de junho de 2014

Luiz Ruffato

Pisas comedida etéreos
espaços em busca de pássaros
que à mão se dissolvem.

Catalogas emoções
estendendo esteiras
nas noites insones.

E as pacíficas aventuras
em que te envolves
são vagas a bater eternamente
em rochedos de um mar absoluto.

Se tens nos olhos espalmados
a felicidade adstringente, ó Súcubus,
por que a procuras em raios de sol
que não campos de trigo?

[In As máscaras singulares, São Paulo, Boitempo, 2002, p. 34]

SOBRE LUIZ RUFFATO



Nenhum comentário: