quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Jorge Emil

ME PERDOO POR ME TRAIR
Oco em mais de uma ocasião,
me deixei tragar pela areia, movediço.
Depois, a exaustão de emergir e emergir
com a sede dos renascidos. Não guardei forças
para julgar-me e punir-me. Por isso
fiquei forte para buscar solo firme.

LEMBRETES
Oi, morte. Vê lá se eu me esqueceria de ti.
Da loja onde entro — comprar o presente, embrulhá-lo —,
sai o corpo embrulhado em papel prata entre bombeiros,
sob a mesma chuva que ajudou a arrojar o avião sobre a
[cidade,
os que vinham do ar misturando-se aos que em terra
[mourejavam.
Esses são presentes e avisos, que me dás.
Nem era preciso, ó carente: por detrás
do conforto transitório, dos risos e distrações,
continuas ocupando o lugar dos oceanos no coração que
[vais comer.

[In O OLHO ITINERANTE, São Paulo: Record, 2013]

SOBRE JORGE EMIL
Mineiro de Caratinga. Formou-se pelo Teatro Universitário da UFMG. Participou de mais de 30 espetáculos e de quatro filmes. Premiado, em 2000, por seu desempenho como protagonista de Ricardo III, de Shakespeare. 


BY MARIA BONOMI



Nenhum comentário: