segunda-feira, 4 de novembro de 2019

José Tolentino Mendonça

A TUA ESTRELA BRILHARÁ

A TUA ESTRELA BRILHARÁ sobre os nossos dias irresolúveis, entre a escassez e a sede; brilhará sobre os motivos ávidos que nos prendem a um comércio repelido e sonâmbulo; sobre a vida que, mesmo sem querermos, permanece adiada.
A tua estrela brilhará sobre a austeridade imposta também aos afetos; sobre a dança interrompida, as mãos de repente caladas; sobre o silêncio que nos coube mastigar em solidão.
A tua estrela brilhará sobre os trilhos que fazemos para chegar a nenhuma parte; sobre os nossos passos em falso e as direções onde desembarcamos por engano; sobre esta aliança dolorosamente hesitante; sobre a imperfeição das promessas que acendemos e que são as únicas de que somos capazes; sobre o inacabado da prece e do dom.
A tua estrela brilhará sobre as viagens precárias que arriscamos, aceitando que não percebemos tudo; sobre as coisas não resolvidas do nosso coração que, a dada altura, se amontoam; sobre essas difíceis encruzilhadas estrada fora. A tua estrela brilhará sobre o desalento e a cinza que nos faz temer que seja irremediável o tempo e que já não tenhamos a força para nos reconciliarmos com o horizonte da vida multiplicada.

[O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas, Lisboa: Quetzal, 2017]


Nenhum comentário:

Maria Gabriela Llansol

Quatro garotos com suas calças curtas, e de alturas  Desiguais, disseram-lhes: —    Este é o ponto extremo de nossos corpos. - —     ...